Os dados mostram que somente em 2021, 912 pessoas morreram no PR. A campanha setembro amarelo reforça a valorização da saúde mental e da vida.

Não dá para negar que qualquer pessoa está sujeito as frustações e tristezas durante a vida. Mas quando isso se torna um sofrimento sem fim, é a hora de buscar ajuda. Isso porque, a falta do diálogo e de acolhimento pode levar a pontos críticos, inclusive, à morte. A cada 10h, uma pessoa desiste de viver no Paraná. Isso aconteceu em 2021, quando 912 pessoas atentaram contra a vida, conforme os dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde. O mês de setembro reforça os cuidados com a saúde mental, por isso, a cor amarela traz à memória o acolhimento e a valorização da vida.

Nas rodas de conversa, quando o assunto surge tende a ser levado como uma situação leve ou até “frescura”. Mas, segundo a psicóloga Cleide Cardoso Breda, em entrevista ao Portal RSN, “A depressão é uma doença que precisa de acompanhamento profissional. É importante ficar atento aos principais sintomas como: perda de prazer de coisas que a pessoa gostava, pensamentos desesperançosos, alteração na alimentação, isolamento social e dificuldade no sono.”

Além disso, outros fatores também precisam ser analisados, já que a idade pode influenciar, porque o suicídio entre jovens vem aumentando em todo o mundo nas últimas décadas. As doenças clínicas não psiquiátricas podem influenciar também. Conforme as informações, as taxas de suicídio são maiores em pacientes com câncer, HIV, doenças neurológicas, doenças cardiovasculares e doenças crônicas. Inclusive, eventos adversos na infância, por exemplo maus tratos, abuso físico e sexual, transtorno psiquiátrico familiar e fatores sociais estão entre os fatores.

*Fonte: Portal RSN*

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui